Mais fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais no SUS: meta do sistema Coffito/Crefitos durante evento com secretários de saúde
O 33º Conasems reúne gestores de saúde e todo o Brasil e é vitrine para ampliar e consolidar presença da Fisioterapia e da Terapia Ocupacional no SUS

A partir do próximo dia 12, em Brasília, cerca de 1.700 autoridades e trabalhadores da saúde, dentre eles secretários municipais de saúde de todo o país, profissionais de saúde, dirigentes estaduais e do Ministério da Saúde, estarão reunidos para a realização do XXXIII Congresso do Conselho Nacional dos Secretários Municipais de Saúde (Conasems).

Durante os 4 dias do evento, o Coffito e representantes dos 16 Crefitos do país irão convidar os gestores de saúde a conhecer mais detalhadamente o impacto da atuação de fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais nos programas e estratégias municipais de saúde.

Além de dados que comprovam esse impacto, a estratégia do Coffito para informar e sensibilizar os gestores de saúde durante a feira sobre o potencial das profissões inclui ações da Fisioterapia e da Terapia Ocupacional previstas na política de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (as PICS).

Encaminhamentos: Crefito-3 prestará assessoria para inserção de profissionais

A participação do Crefito-3 como membro da delegação do sistema Coffito/Crefitos durante o Congresso terá um papel fundamental na estratégia global de inserção das profissões nos municípios. O Conselho paulista realizou estudos com as capitais e polos regionais do Brasil, evidenciando aspectos diversos de interesse do gestor, tais como análise demográfica, perfil socioeconômico da população, cobertura dos serviços públicos e privados de saúde, principais demandas de saúde, entre outros dados.

A análise e cruzamento dos dados oferecerá ao gestor um diagnóstico do contexto de saúde local, da presença de fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais nas estratégias e de que forma ela poderá ser otimizada, com a inserção dos profissionais não apenas nas unidades básicas de saúde, mas em diversas outras políticas previstas pelo SUS e por outras leis e resoluções específicas.

Essa apresentação de dados, que será realizada por meio de atendimento individualizado aos representantes dos municípios, será seguida de encaminhamento às Câmaras Técnicas Sociosanitária e Parlamentar do Crefito-3, que irão assessorar o gestor quanto aos mecanismos legais de inserção dos profissionais em suas políticas de saúde, inclusive com orientações a respeito de captação de recursos para a abertura de vagas para fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais.

Valorização e empregabilidade em nível nacional

A abordagem proposta pelo Crefito-3 para o evento de Brasília é a ampliação do trabalho já realizado em São Paulo, sob responsabilidade das Câmaras Técnicas, que há 6 meses tem firmado parcerias colaborativas com diversos municípios do estado.

Esse trabalho do Crefito-3 visa garantir a atuação de fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais no SUS, por meio da instrumentalização dos gestores de saúde a respeito dos resultados oferecidos pela presença das duas profissões em suas estratégias, bem como apresentar meios para captação dos recursos financeiros necessários para tal.