Comissão de Assuntos Parlamentares do Coffito em reunião no Crefito-3

Representantes de Crefitos de todas as regiões do País se reuniram nesta sexta-feira, 10 de novembro, na sede do Crefito-3, para discutir as estratégias de trabalho da Comissão de Assuntos Parlamentares (CAP) do Coffito.

A CAP tem o compromisso de estar atenta a todo e qualquer movimento legislativo (projetos de lei, emendas constitucionais, decretos, entre outras) que estejam - ou tenham potencial para estar - relacionadas à atuação de fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais. A CAP também acompanha as publicações do Poder Executivo, tais como edição de novas Portarias e Decretos.

“Acompanhamos todas as matérias do Legislativo”, esclarece Carla Bencke, Assessora Parlamentar do Coffito. “Identificamos os temas que são de interesse da Fisioterapia e da Terapia Ocupacional, reunimos os membros da CAP e estudamos a melhor forma de abordar cada um deles”.

Na reunião dessa sexta-feira, o foco dos participantes foi o alinhamento das visões a respeito dos Projetos de Lei que estão em tramitação, para que seja desenvolvida uma estratégia coletiva de abordagem dos parlamentares a respeito de cada um dos temas. “Dessa forma, alinhando os olhares, desejamos preservar sempre as prerrogativas legais da Fisioterapia e da Terapia Ocupacional e garantir à sociedade uma assistência com qualidade”, explicou Dr. Anderson Coelho, presidente do Crefito-4 (Minas Gerais).

A cada semana, dois Conselheiros de plantão no Congresso Nacional

Dr. Roberta Mattar Cepeda, presidente do Coffito e idealizador da CAP ainda em sua primeira gestão (2012-2016), explica que ao longo dos anos aprimoraram a forma de atuação da CAP. “Atuamos em estratégias pontuais para obtermos maior êxito dentro de nossas propostas. A cada semana temos dois conselheiros plantonistas dentro do Congresso, trabalhando assuntos de interesse das profissões, seja na área da saúde, da educação, da área social”, relata Dr. Cepeda.

Além de aprimorarem o aspecto operacional da CAP, também firmaram parceria importante com as sociedades de especialistas da Fisioterapia e da Terapia Ocupacional, para assessoria em questões de caráter técnico.

O presidente do Coffito entende que um dos resultados sensíveis da atuação da CAP é o fato de os parlamentares já identificarem com mais clareza a Fisioterapia e a Terapia Ocupacional e que, inclusive, já buscam a CAP do Coffito em temas que entendem ser do âmbito das duas profissões. Porém, para Dr. Cepeda, mais do que ter o reconhecimento dos parlamentares e mais do que ter a possibilidade de ter as demandas das profissões ouvidas e atendidas, é buscar ampliar a presença de fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais na Câmara dos Deputados e no Senado Federal.

"Não queremos só correr atrás do que já está proposto ou apagar incêndios. Queremos também fazer proposituras de projetos que tenham interesse para a sociedade. E queremos fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais ocupando assentos no Congresso Nacional”, conclui.

“São Paulo entrou na luta pelas conquistas para as profissões”

Anfitrião da reunião de planejamento das atividades da CAP, o Crefito-3 passou a figurar como membro dessa Comissão apenas em 2017. “Entramos de vez na luta pelos avanços e conquistas para nossas profissões”, explicou o presidente do Crefito-3, Dr. José Renato de Oliveira Leite.

Dr. José Renato explica que, antes da CAP, tanto a Fisioterapia quanto a Terapia Ocupacional estavam ausentes e alheios ao que ocorria na Câmara dos Deputados e no Senado Federal. “Hoje, com a presença do sistema Coffito/Crefitos, representado pela CAP, os parlamentares passaram a compreender qual a importância das profissões para a sociedade e o quanto nós, profissionais das duas áreas, podemos promover benefícios para a sociedade”.

Assim como o presidente do Coffito, Dr. José Renato entende ser de grande importância o envolvimento de fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais nas instâncias onde as decisões são tomadas, onde políticas públicas são pensadas e executadas, levando a contribuição única das profissões para esses espaços. “Precisamos ter fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais como deputados, senadores, prefeitos, vereadores, governadores, ou mesmo na Presidência da República. Temos que estar presentes em todas as frentes”, defende o presidente do Crefito-3.