Crefito-3 dá sequência a ações definidas em reunião e realiza reunião no TRT-15, em Campinas
Os presidentes do Crefito-3 e da Abrapefi cumpriram agenda com o juiz auxiliar Dr. Álvaro dos Santos e entregaram memorial com embasamento de respaldo legal.

No dia 26 de novembro, o presidente do Crefito-3 Dr. José Renato de Oliveira Leite esteve reunido, novamente, com a presidente da Associação Brasileira de Perícias Fisioterapêuticas (Abrapefi) Dra. Rebeka Borba, Dr Kaio Oliva, presidente do Conselho Fiscal da Abrapefi, acompanhados do Procurador-chefe e do Gerente de Comunicação do Crefito-3, Dr. Alexandre Florio e Tulio Fonseca, no Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região, em Campinas, para uma reunião com o juiz auxiliar Dr. Álvaro dos Santos. O encontro deu sequência a ações definidas na reunião do dia 25 de novembro, na sede do Crefito-3.

Dr. José Renato e Dra. Rebeka Borba entregaram ao magistrado um memorial com embasamento do respaldo legal da atuação do fisioterapeuta e do terapeuta ocupacional como perito e assistente técnico judicial. 

Mobilização Coffito/Crefitos

No dia 25 de novembro, o Crefito-3 reuniu lideranças do Sistema Coffito/Crefitos, de associações de perícia judicial e assistência técnica e de profissionais que atuam na área para discutir o cenário atual da Perícia e estratégias que impulsionem a atuação e valorização de fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais peritos. Estiveram no encontro o presidente do Crefito-3 Dr. José Renato de Oliveira Leite, a vice-presidente do Coffito Dra. Patrícia Luciane dos Santos Lima, a presidente do Crefito-8 Dra. Patrícia Rossafa Branco, o presidente do Crefito-1 Dr. Silano Barros, o membro do Conselho Consultivo do Crefito-3 Dr. Marco Antônio Rocatto Ferreroni, Dr. Márcio Miranda, representante da Associação Brasileira de Fisioterapia do Trabalho (Abrafit), Dra. Rebeka Borba, presidente da Associação Brasileira de Perícias Fisioterapêuticas (Abrapefi) e os fisioterapeutas peritos, que atuam em São Paulo, Dr. Kaio Oliva e Dr. Luis Fernando Monteiro. A reunião teve também a participação de membros da Procuradoria Jurídica e do Departamento de Fiscalização e da Gerência de Comunicação do Crefito-3.

Para Dr. José Renato, presidente do Crefito-3, “São Paulo precisava iniciar imediatamente um movimento para destravar as ações às Perícias fisioterapêuticas e terapêuticas ocupacionais no Estado de São Paulo. Buscamos envolver todas as lideranças de Perícia no país. Foram inúmeras reuniões para fechar este encontro que é histórico. Agradecemos a todos pelo envolvimento. A partir de amanhã estaremos na estrada com novas atuações”, disse.

Durante a reunião, ficou clara preocupação com a atuação de profissionais da Fisioterapia e da Terapia Ocupacional na Perícia Judicial, tanto no estado de São Paulo quanto em nível nacional. Os profissionais peritos presentes no encontro contribuíram para a compreensão do cenário e das dificuldades que fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais enfrentam, atualmente, na perícia judicial em São Paulo e no Brasil. Conforme explicou o fisioterapeuta perito Dr. Kaio Oliva, em São Paulo, o mercado de perícia não é muito aproveitado pelo fisioterapeuta. “Só quem trabalha com perícia e assistência técnica sabe o que a gente passa, o que a gente enfrenta para continuar. Recebemos muitas impugna ações e a ideia é agir em nível nacional. Então, foi feita essa primeira reunião, a partir do presidente Dr. José Renato e, agora, vamos acionar o Coffito e fazermos uma série de medidas”, disse. 

Para a presidente do Crefito-8 Dra. Patrícia Rossafa Branco, a reunião convocada pelo Crefito-3 foi um momento histórico para a perícia fisioterapêutica brasileira. “Nós estamos há anos batalhando nesse desse cenário, de inserção de mercado dentro de um campo que a sociedade carece profundamente, já que quando falamos de perícia, principalmente no âmbito da saúde do trabalhador, da perícia previdenciária, nós estamos falando de uma análise de capacidade funcional, o que fala diretamente com o fazer do fisioterapeuta, com a formação básica do fisioterapeuta, sendo ele o principal profissional para fazer a entrega adequada à sociedade e ao judiciário brasileiro”. 

O presidente do Crefito-1, Dr. Silano Barros, reforçou a importância do encontro e explicou quais serão as estratégias a serem tomadas. “Os encaminhamentos necessários à tentativa de solução no Crefito-3 seguem e estão sendo discutidos e trabalhados. Algo muito melhor foi criado, que foi um encaminhamento de uma questão de âmbito nacional. O Crefito-3 vai fazer um pedido ao Coffito para que haja uma reunião do Sistema, para que a gente possa juntos discutir o caminho e as estratégias das perícias técnicas judiciais para fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais que precisam ser discutidas no âmbito nacional”.

Segundo Dra. Rebeka Borba, presidente da Associação Brasileira de Perícias Fisioterapêuticas (Abrapefi), a reunião foi de grande importância. “Hoje, no momento em que o fisioterapeuta perito e assistente técnico vêm sofrendo sucessivas tentativas de impedimento ao nosso exercício profissional, o Crefito-3 proporcionou uma reunião para estabelecimento de diretrizes e estratégias para combater esse cerceamento, em defesa do fisioterapeuta perito e assistente técnico. Daqui, já surgiram diversas estratégias definidas e, o mais importante de tudo, um planejamento futuro”. O grupo deu encaminhamento a um cronograma das próximas atividades que serão desenvolvidas tanto nos regionais que fizeram parte da reunião, quanto em nível nacional. 

O grupo pretende, também, provocar uma reunião com pauta única no Sistema Coffito/Crefitos sobre Perícia Judicial e Assistência Técnica para buscar alinhamento nacional e fortalecimento das ações relativas à perícia, identificação de atores do processo e realização dos enfrentamentos necessários. Além disso, em São Paulo, o Crefito-3 irá realizar eventos de formação, atuação em conjunto com as associações e visitas constantes a atores do meio jurídico.