Recomendações para terapeutas ocupacionais que estão em combate à pandemia nos hospitais
Conselho continua recebendo contribuições de profissionais que são referência em suas áreas de atendimento para que os demais colegas possam se orientar

O Crefito-3 tem trabalhado de maneira bastante intensa e concentrada para produzir e conteúdos informativos, orientativos e norteadores para fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais. Para isso tem conseguido contribuição valiosa de profissionais que são referência em suas áreas de assistência.


Hoje, recebemos da Gabriela Pereira do Carmo, Terapeuta Ocupacional da UTI adulto do Hospital Municipal Carmino Caricchio e Preceptora do programa de residência em Atenção a Terapia Intensiva da Residência Multiprofissional em atenção à saúde da secretária municipal da saúde de São Paulo

1 –  Em todos os atendimentos o profissional só irá atender aos pacientes com suspeita ou confirmado de Covid 19 somente se utilizar todos os equipamentos de proteção individual: avental descartável, máscaras  N95 quando necessário, touca, óculos e luvas, e realizar o modo correto da lavagem das mãos. Entre um atendimento e outro, repetir sempre a lavagem das mãos e a troca do avental, e das luvas, como também a limpeza dos óculos. 

 2 - Ao realizar o atendimento ao paciente com Covid 19, ou com suspeita, priorize os materiais que ao final do atendimento serão descartados, por exemplo para um treino de atividade de vida diária, tarefa alimentação, utilizem os talheres descartáveis.

3 – Para o uso das placas de comunicação alternativa aos pacientes que estivem em processo de desmame da ventilação mecânica, as mesmas deverão esta plastificadas e deverão ser higienizadas antes e depois do atendimento, através da realização de uma limpeza prévia com água e sabão seguido do álcool 70%, quando possível utiliza se uma prancha impressa, a qual deverá ser descartada no saco de lixo infectante.

4 –  Aos materiais que são de uso do setor, utilizem apenas os que poderão ser limpos com água, e sabão, além do álcool 70%

5– Ao realizar a mobilização precoce para a realização de atividades, sejam elas para os aspectos cognitivos, motores ou treino de AVDs para o paciente internado na UTI, o profissional nunca deverá deixar de realizar a lavagem das mãos antes e após o atendimento, utilizar os equipamentos de proteção individual, o avental descartável, acompanhado de máscaras  N95, toucas, propé , óculos de proteção e luvas.

6 – Neste momento evitar a realização de atividades terapêuticas ocupacionais que envolva o deslocamento do paciente pelos corredores do hospital ou aproximação de com outros pacientes.

7- Todas as intervenções terapêuticas ocupacionais aos pacientes que apresentam suspeitas ou confirmações de COVID 19, deverão ser realizadas somente dentro dos quartos de isolamento.