Black Friday: paciente não é mercadoria!
Campanha do Coffito alerta que práticas ilícitas ferem os princípios éticos próprios da assistência à saúde de pacientes e promovem a desvalorização da Fisioterapia e da Terapia Ocupacional.

A chegada de mais uma edição da Black Friday mobilizou o Coffito a elaborar uma campanha para alertar fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais de todo o Brasil sobre os danos que as práticas ilegais na saúde podem ocasionar ao paciente, ao profissional e às profissões. Com o lema “Saúde não é mercadoria”, a campanha mostra ao profissional que a Black Friday não tem espaço na Fisioterapia e na Terapia Ocupacional. 


No período de Black Friday é comum encontrar profissionais que se envolvem em práticas ilícitas e em desacordo ao Código de Ética da Fisioterapia e ao Código de Ética da Terapia Ocupacional. Todavia, práticas ilícitas ferem os princípios éticos próprios da assistência à saúde de pacientes e da população e podem ser passíveis de abertura de processo ético. 


Oferta de descontos, pacotes e outros em práticas da Fisioterapia e da Terapia Ocupacional podem gerar danos coletivos às profissões e promover a desvalorização e o desrespeito à prática profissional. Conforme o artigo 39 do Código de Ética da Fisioterapia e da Terapia Ocupacional, é proibido prestar assistência profissional gratuita ou a preço ínfimo, entendendo como preço ínfimo o valor inferior ao Referencial Nacional de Procedimentos Fisioterapêuticos e Terapêuticos Ocupacionais.


Denuncie

Se durante a Black Friday ou a qualquer tempo, você encontrar divulgação de serviços de Fisioterapia e Terapia Ocupacional que ofereçam “pacotes” ou “descontos”, denuncie ao Crefito-3.