Últimas Notícias

Projeto de Lei do piso salarial foi aprovado na Comissão de Trabalho da Câmara dos Deputados

Durante a sessão de votação, o Crefito-3 esteve representado pelos membros da Comissão de Assuntos Parlamentares


Alerta de Golpe! Não acredite em ligações com o teor de suspensão de registro profissional

Golpistas falam em nome do Crefito-3 para enganar fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais!


Crefito-3 participa de evento do Instituto Aliança contra Hanseníase, em São Paulo

Evento faz parte de campanha sobre conscientização e sensibilização para o diagnóstico precoce da hanseníase.


SONAFE Brasil apresenta nova diretoria ao presidente do Crefito-3


Câmara Técnica de Terapia Ocupacional em Contextos Sociais participa do IV Simpósio Nacional em Socioeducação, em Brasília


Correlação x Causalidade: aspectos clínicos e radiográficos na síndrome do impacto femoroacetabular

Podcast com a fisioterapeuta e pesquisadora Dra. Flávia Nakatake


VEJA MAIS

Imagem da notícia

Publicado em: 20/02/2024

Portaria Crefito-3 estabelece as diretrizes para atuação dos terapeutas ocupacionais no contexto hospitalar

Documento destaca importância da assistência terapêutica ocupacional por no mínimo 12 horas/dia.

O presidente do Crefito-3, Dr. Raphael Ferris, assinou, no dia 2 de fevereiro de 2024, a Portaria Crefito-3 nº 26, que estabelece as diretrizes para o exercício profissional do terapeuta ocupacional no contexto hospitalar.


A Portaria destaca, em seu artigo 1º, a importância da assistência terapêutica ocupacional por no mínimo 12 horas/dia nas unidades hospitalares, visando a proteção, promoção, prevenção, recuperação e cuidados paliativos do indivíduo e da coletividade.


Entre os pontos abordados, destaca-se a competência do terapeuta ocupacional em avaliar demandas terapêuticas, desenvolver perfil ocupacional centrado no cliente/paciente/usuário, integrar planos de cuidado multiprofissionais e realizar treinos de estimulação cognitiva.


A Portaria do Crefito-3 define áreas de atuação, como atenção intra-hospitalar, extra-hospitalar oferecida pelo hospital e atenção em cuidados paliativos. Além disso, ressalta a importância da orientação aos familiares, acompanhantes e/ou cuidadores no momento da alta.


Para conhecer o texto integral da Portaria nº 26, clique aqui.