Crefito-3 marca presença em audiência pública sobre EaD na Assembleia Legislativa, em São Paulo

Nesta segunda-feira, dia 11 de fevereiro, o Crefito-3 participou de uma audiência pública sobre Educação a Distância, convocada pelo deputado estadual Carlos Giannazi (PSOL), que discutiu questões acerca da modalidade de ensino e seus efeitos, bem como as consequências que pode trazer para alunos, professores e sociedade. O evento aconteceu na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) e foi transmitido ao vivo pela TV Alesp. Além do Crefito-3, estiveram presentes representantes dos Conselhos de Farmácia, Fonoaudiologia, Psicologia, Nutrição, Educação Física, entidades sindicais, representantes de entidades estudantis, deputados, alunos e sociedade civil.

Sob o tema "EaD - ensino a distância ou distância do ensino?", a audiência foi marcada por questionamentos sobre a crescente oferta de disciplinas de cursos EaD pelas faculdades, a qualidade do ensino ministrado, dentre outros pontos. Conforme explicou Andréia Fuchs Botsaris, gerente de Infraestrutura do Crefito-3, que representou a autarquia na ocasião e no Fórum dos Conselhos do Estado de São Paulo (FCAFS), cada participante destacou, em suas áreas específicas, os riscos que a modalidade pode trazer para formação de profissionais da saúde, assim como a preocupação em expor a saúde da população aos cuidados de profissionais formados nessa modalidade. “Todos são unânimes em afirmar que a tecnologia e a ferramenta são importantes para agregar conhecimento, porém, não substitui o professor e as vivências acadêmicas do ensino presencial”, disse.

O deputado Carlos Giannazi destacou como a expansão do EaD afeta estudantes, quanto à perda na qualidade do ensino. "A educação a distância é complementar ao ensino presencial, mas está se tornando o principal método. Isso afeta muito a qualidade da educação oferecida ao aluno, pois estão massificando o processo por meio do EaD". Durante a audiência, o deputado se comprometeu a enviar denúncia ao Ministério Público e ao Ministério do Trabalho, para que o assunto seja apurado, bem como a revisão do PL 52/2017, de autoria do falecido deputado Celso Giglio, em conjunto com o FCAFS, que proíbe a modalidade EAD na graduação nas áreas da Saúde no Estado de São Paulo.

 

EaD em Fisioterapia e Terapia Ocupacional

https://ssl.gstatic.com/ui/v1/icons/mail/images/cleardot.gifVale destacar que as vagas para cursos de Fisioterapia, autorizadas pelo MEC, aumentaram em 2.268% comparadas ao ano de 2017, que eram 5.700 e, em 2018, 58.580. Em janeiro de 2019, foram autorizadas 135.000 vagas.

Desde 2016, quando o mercado do ensino a distância ensaiava seus primeiros passos para avançar sobre a graduação em Fisioterapia e em Terapia Ocupacional, o Crefito-3 já fortalecia suas estruturas para a resistência a esse modelo de ensino. 

Desde então, representantes do Crefito-3 têm se envolvido nos debates, buscado o apoio de deputados estaduais, federais e senadores para evitar que a graduação totalmente na modalidade a distância para a Fisioterapia, para a Terapia Ocupacional e para todas as profissões da área da saúde, se consolide como regra para a formação profissional em saúde.