Cuidando de quem cuida: a Covid-19 e a segurança de fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais
Crefito-3 ouviu especialistas e coordenadores de equipes de hospitais de excelência em São Paulo, e questionou sobre as medidas adotadas para garantir a segurança das equipes

O Crefito-3 tem como objeto de trabalho a garantia de assistência fisioterapêutica e terapêutica ocupacional totalmente seguras para o cidadão do estado de São Paulo. Com a chegada da pandemia do coronavírus ao país, essa preocupação foi ampliada para garantia dos profissionais que estão na assistência direta pa pacientes confirmados e suspeitos de carregarem o vírus.


Dessa forma, o Crefito-3 procurou especialistas e  hospitais de excelência na cidade de São Paulo para conhecer de que forma os fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais estão recebendo medidas de proteção de suas respectivas instituições.


O Dr. Celso Carvalho, diretor da Regional São Paulo da Associação Brasileira de Fisioterapia Cardiorrespiratória relembrou todos os cuidados básicos que os profissionais em contato direto com os pacientes devem adotar: uso de máscara, luvas de procedimento, avental de mangas longas, preferencialmente, descartável e óculos de proteção.


“Se o fisioterapeuta for realizar algum procedimento que gere aerossóis, como aspiração de vias aéreas, nebulização ou algum procedimento semelhante, é necessário usar máscara N-95 bico-de-pato.gorro, touca e óculos de proteção”.


Proteção nos hospitais


A Dra. Vera Lúcia dos Santos Alves, que é Coordenadora de Fisioterapia da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, explicou que sua equipe conta com 70 fisioterapeutas. 

“Nós temos replicado para todos os fisioterapeutas da equipe, por meio de grupos de whatsapp,todas as informações em relação à como e quando usar a máscara N-95, e em todos os temas ligados à biossegurança, principalmente em relação a procedimentos”, explicou Dra. Vera Lúcia. 


A Coordenadora de Fisioterapia da Santa Casa relatou que já existem artigos científicos que comprovam estar estabelecido que a ventilação não-invasiva pode agregar um fator adicional de propagação do vírus, em razão do efeito aerossol. 


“Em relação a todo os procedimentos, os fisioterapeutas da Santa Casa estão bem orientados, a todo momento, para que haja tranquilidade na equipe e um melhor manejo dos pacientes”.


Recomendações aos fisioterapeutas hospitalares


A coordenadora de Fisioterapia do Hospital Israelita Albert Einstein elaborou uma lista de recomendações a serem seguidas pela equipe de fisioterapeutas que coordena. Essas recomendações ela enviou ao Crefito-3 para compartilhamento com todos os fisioterapeutas do Brasil. 


As recomendações vão desde as de maior especificidade, como a utilização de sistema de aspiração fechado (trach-care) em todos os casos, até as mais simples, como levar pacientes para deambular apenas dentro do quarto, jamais nos corredores. A lista com essas recomendações pode ser acessada clicando aqui .


Recomendações para terapeutas ocupacionais


A terapeuta ocupacional Gabriela Pereira do Carmo, Terapeuta Ocupacional da UTI adulto do Hospital Municipal Carmino Caricchio, também elaborou uma lista de recomendações a ser seguida pela Terapia Ocupacional em hospitais. Dentre essas, ela recomenda que o terapeuta ocupacional evite atividades terapêuticas ocupacionais que envolvam o deslocamento do paciente pelos corredores do hospital ou aproximação com outros pacientes. 

“Todas as intervenções terapêuticas ocupacionais com pacientes que apresentem suspeitas ou confirmações de Covid-19, deverão ser realizadas somente dentro dos quartos de isolamento”.


 A relação completa de recomendações para a Terapia Ocupacional pode ser acessada clicando aqui.