Campinas adia rodízio de veículos na cidade e submete projeto à Câmara de Vereadores
Medida entraria em vigor a partir de segunda-feira, dia 18 de maio, com o objetivo de diminuir a circulação de pessoas e frear a disseminação da COVID-19 no município.

Nesta sexta-feira, dia 15 de maio, a Prefeitura Municipal de Campinas anunciou o adiamento do rodízio que iria vigorar, pela primeira vez na cidade, a partir do dia 18 de maio. Agora, o projeto será submetido à Câmara de Vereadores para votação. O texto deve ser protocolado no Poder Legislativo na segunda, dia 18. A medida pretendia diminuir a circulação de pessoas, frear a disseminação do novo coronavírus e poupar leitos do sistema de saúde disponíveis na cidade. No interior e litoral, o número de pacientes contaminados chegou a 8.733 casos. 64% do território de São Paulo já têm casos de coronavírus.


Tramitação na Câmara

A Câmara de Vereadores informou, por meio de nota, que aguarda que o projeto seja protocolado. "Assim que isso ocorrer, o PL será levado para análise da Mesa Diretora, bem como será avaliado em reunião com as lideranças partidárias, para então seguir o trâmite de votação". Em relação à previsão para votação do projeto, a assessoria do Legislativo informou que o PL precisa ser protocolado, avaliado, ter uma análise se é ou não constitucional. "A Câmara só está realizando reuniões extraordinárias neste período, aliás já são mais de 70, exclusivamente para debater projetos sobre o coronavírus e PLs que têm data legal para serem votados", informou.


Rodízio

Diferente do rodízio da Capital, a medida em Campinas, caso seja aprovada, irá incluir carros e motocicletas com placas locais e também de outras cidades. O rodízio será feito de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h, com o seguinte esquema: ficam proibidos de transitar em Campinas veículos com placas de final 1 e 2 às segundas-feiras; 3 e 4, às terças-feiras; 5 e 6, às quartas-feiras; 7 e 8, às quintas-feiras; e 9 e 0, às sextas-feiras. Enquanto durar o rodízio, a frota do transporte coletivo será ampliada. 


Isenção

Embora o rodízio tenha sido adiado, a Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas) afirmou que vai liberar, ainda nesta sexta, o aplicativo de celular para que profissionais de serviços considerados essenciais façam o cadastro para isenção do rodízio.

O projeto de lei prevê que quem desrespeitar a medida será multado em R$ 130,16, além de perder quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).