Estudo avalia treinamento muscular em pacientes com COVID-19 na UTI
Para o desenvolvimento do estudo estão sendo convidados fisioterapeutas que atuam junto a pacientes com COVID-19 internados em UTIs. Os participantes devem responder a um questionário online.

O Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia (PPGFt), da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), convida fisioterapeutas, que atuam na linha de frente junto a pacientes com COVID-19, para participar de uma pesquisa de doutorado que tem por objetivo avaliar conhecimentos, práticas e barreiras ao exercício físico nesses pacientes internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). 


O estudo é realizado pela fisioterapeuta Dra. Thaís Marina Biazon, com apoio do Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia (PPGFt), sob orientação de Renata Gonçalves Mendes, docente do Departamento de Fisioterapia (DFisio), e coorientação de Cleiton Augusto Libardi, professor do Departamento de Educação Física e Motricidade Humana, todos da UFSCar. 


Dra. Thaís explica que o exercício físico investigado no estudo se refere à mobilização precoce focada na redução da atrofia muscular no paciente crítico com COVID-19. De acordo com ela, essa mobilização auxilia na redução do tempo de ventilação mecânica necessária e das taxas de mortalidade durante a internação na UTI, além de diminuir a dependência funcional e evitar a piora da qualidade de vida dos pacientes sobreviventes ao estado crítico.


Além da importância na promoção do cuidado dos pacientes com COVID-19 nas UTIs, a pesquisa deve trazer contribuições para os profissionais que atuam com esse público. "A expectativa é auxiliar na disseminação científica do conhecimento e das práticas clínicas dos fisioterapeutas intensivistas no Brasil", afirma Thaís.


Para o desenvolvimento do estudo estão sendo convidados fisioterapeutas que atuam junto a pacientes com COVID-19 internados em UTIs. Os participantes devem responder a este questionário online. O tempo de resposta varia entre 5 e 10 minutos e o anonimato dos participantes será mantido. O prazo final para resposta é o dia 31 de julho.