SP deve iniciar plano de vacinação contra COVID-19 em 25 de janeiro
Na primeira etapa, profissionais de saúde, pessoas com 60 anos ou mais e grupos indígenas e quilombolas terão prioridade. 4 milhões de doses serão oferecidas para outros estados.

Em dezembro de 2020, o Governo de São Paulo lançou o Plano Estadual de Imunização contra o coronavírus. A princípio, a campanha deverá começar no dia 25 de janeiro, com prioridade para profissionais da área da saúde, pessoas com 60 anos ou mais e grupos indígenas e quilombolas na primeira etapa do programa. O estado de São Paulo também irá disponibilizar 4 milhões de doses da vacina do Instituto Butantan para outros estados.


Conforme declarou o governador João Doria (PSDB-SP), “a vacina será gratuita para todos no sistema público de saúde do estado de São Paulo”. A previsão é que 9 milhões de pessoas sejam imunizadas na primeira etapa, com a aplicação de 18 milhões de doses. A campanha terá coordenação da Secretaria de Estado da Saúde e será implementada em parceria com as 645 prefeituras de São Paulo. O objetivo é dobrar o total de postos de vacinação para até 10 mil locais.


Vacinação

O Governo do Estado vai propor aos municípios a adoção de normas especiais para vacinação em locais como farmácias, quartéis da Polícia Militar, escolas, terminais de ônibus e postos volantes em sistema drive-thru. A medida tem por objetivo garantir a segurança da população e evitar aglomerações nos locais de imunização.


O Governo de São Paulo estima que, até o fim do mês de março, quase 20% dos 46 milhões de habitantes do estado estejam imunizados com duas doses da CoronaVac e, para isso, conta com agilidade na aprovação da vacina do Butantan pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).


Logística

Nesta segunda-feira, dia 11 de janeiro, o Governo de São Paulo apresentou o plano de logística de vacinação do SUS para a campanha estadual contra a COVID-19. Serão mobilizados, no total, 77 mil profissionais, sendo 52 mil da Saúde e 25 mil policiais que atuarão desde as etapas de armazenamento, envio de doses e insumos às regiões e municípios, até a aplicação das vacinas nos postos.


Conforme divulgado em coletiva, o plano logístico irá prever, dentre outros pontos, saídas semanais de grades com 2 milhões de doses da vacina, com caminhões refrigerados e equipados para monitoramento de temperatura, rastreabilidade por radiofrequência, equipe de apoio e auditoria independente sobre o volume de carga movimentada. 


Segurança Pública

Para garantir a segurança das vacinas e dos locais de vacinação, a Força Tática e a ROCAM (Ronda Ostensiva Com Apoio de Motocicletas) da Polícia Militar serão mobilizadas para acompanhar o primeiro deslocamento das vacinas do Instituto Butantan ao Centro de Logística, que também terá apoio da guarda montada. Além disso, todas as rotas terão escolta da Polícia de Choque e os centros regionais de armazenamento terão policiamento para apoio dos Comandos Regionais para segurança nos postos de vacinação.