Ministério da Saúde antecipa campanha nacional de vacinação contra a COVID-19
Pressão de governadores motivou a antecipação da campanha nacional, que teve início nesta segunda-feira, 18 de janeiro. Estado de São Paulo iniciou no domingo o Plano Estadual de Imunização.

Após pressão de governadores estaduais pela vacinação contra a COVID-19, o Ministério da Saúde decidiu antecipar, para esta segunda-feira, dia 18 de janeiro, a Campanha Nacional de Imunização contra o novo coronavírus. Em cerimônia que aconteceu em São Paulo, o Ministro da Saúde Eduardo Pazuello disse que os estados poderão começar a vacinação a partir das 17 horas, em todo o país. A campanha nacional estava marcada para quarta-feira, dia 20 de janeiro.


Neste domingo, dia 17 de janeiro, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou o uso emergencial das vacinas CoronaVac e da Universidade de Oxford contra a COVID-19. Momentos depois da autorização, o governo de São Paulo aplicou a primeira dose da vacina da CoronaVac em uma profissional de saúde, a enfermeira Monica Calazans. 


Segundo o Ministro da Saúde, o horário estipulado para o início da vacinação nacional foi proposto a fim de dar tempo de todos os estados receberem as doses da CoronaVac, vacina do Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac. Durante a cerimônia, Pazuello deu início à distribuição das doses pelo país. As caixas saíram do centro de distribuição de logística do Ministério da Saúde em Guarulhos, na Grande São Paulo. "A todas as famílias das vítimas, recebam a nossa solidariedade. É muito difícil perder alguém que amamos. Está dado o primeiro passo para a maior campanha de vacinação do mundo", afirmou Pazzuelo.


Das 6 milhões de doses, 4.636.936 serão enviadas pelo Governo Federal aos demais estados brasileiros. As outras 1.357.640 serão distribuídas pelo estado de São Paulo.