Em Presidente Prudente, fisioterapeutas poderão acompanhar parturientes
Projeto de Lei Municipal garante direito à presença de fisioterapeuta nas maternidades durante o período de pré-parto, parto e pós-parto, sempre que solicitado e custeado pela parturiente. Crefito-3 acompanhou a tramitação do PL.

Em 27 de setembro, a Câmara Municipal de Presidente Prudente aprovou, em primeira e em segunda votação, o projeto de lei nº 295/2018, de autoria do vereador Douglas Kato.

O projeto segue agora para homologação pelo prefeito Ed Thomas.


O PL aprovado permite a presença de profissionais fisioterapeutas nas maternidades públicas e privadas do Município de Presidente Prudente durante o período de pré-parto, parto e pós-parto, sempre que solicitado e custeado pela parturiente.  A parturiente deverá comunicar o desejo de ter o acompanhamento de um profissional fisioterapeuta, no momento da internação, cabendo ao profissional o contato com o hospital para a devida identificação.


Na sessão em que o PL foi aprovado, o Crefito-3 foi representado pelo conselheiro efetivo Dr. Marcelo Claudio Amaral Santos, que falou sobre a importância do tema abordado pelo projeto de lei nº 295/2018. 


Para defender os aspectos relacionados aos benefícios para a Saúde da Mulher, se pronunciou a fisioterapeuta, Profª Dra. Edna Maria do Carmo, que desenvolve estudos com ênfase em Uroginecologia e Obstetrícia, é membra da Associação Brasileira de Fisioterapia em Saúde da Mulher (Abrafism) e há dois anos já beneficia mulheres parturientes em projeto desenvolvido em hospital de Presidente Prudente, que inclui e valoriza a atuação de fisioterapeutas no momento do parto..


A fisioterapia no processo de humanização da assistência obstétrica


Na justificativa do projeto de lei, o vereador Douglas Kato defendeu que a presença de fisioterapeuta contribui para o melhor custo-efetividade da assistência às mulheres no âmbito das maternidades, além de estar de acordo com os  preceitos de humanização da assistência obstétrica, ao incluir um “profissional com grande especificidade na prescrição de recursos fisioterapêuticos e abordagem que contribui para que as mulheres sejam agentes no processo de parturição, ao mesmo tempo que recebem uma assistência humanizada e segura no âmbito da maternidade.”


A justificativa do vereador segue o que é defendido em documento modelo da Abrafism sobre a importância da fisioterapia na gestação, parto e puerpério como fator de humanização da assistência obstétrica, conforme preconizado por Programas de Humanização no Pré-Natal e Nascimento do Ministério da Saúde. 


De acordo com a publicação “Recomendações Para Atendimento Fisioterapêutico à Gestantes, Parturientes e Puérperas em Tempos de COVID-19”, da Abrafism, a “assistência fisioterapêutica neste período objetiva desenvolver ações de promoção à saúde, prevenção e recuperação. Atua na prevenção e tratamento para a dor pélvica posterior e dorsalgias, síndromes de compressão nervosa, edema, dispneia e incontinência urinária, a partir de uma avaliação minuciosa, do diagnóstico cinético-funcional e da utilização de recursos fisioterapêuticos baseados em evidências científicas”.


Na foto, da esquerda para a direita,  Profª. Dra. Edna Maria do Carmo, Vereador Douglas Kato, e o Conselheiro do Crefito-3 Dr. Marcelo Claudio Amaral Santos.