Golpe da falsa multa eleitoral provoca prejuízos a fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais
Ao oferecer a vaga, o estelionatário pede dados do profissional e cita a obrigatoriedade de o candidato fazer 2 cursos no valor total de R$ 650, com pagamento via Pix. Com os dados do profissional em mãos, o golpista cobra o pagamento de “débito no Crefito”.

Uma (falsa) promessa de vaga de emprego, enviada via whatsapp para fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais, está causando prejuízo financeiro para as vítimas.


O estelionatário entra em contato com o fisioterapeuta/terapeuta ocupacional, oferecendo uma vaga de emprego, com um excelente salário, num determinado hospital.


Quando o profissional demonstra interesse pela vaga, o golpista solicita vários dados pessoais “para cadastro”, e informa o profissional sobre a necessidade de realizar 2 cursos para tornar-se apto àquela vaga. 


Neste momento, o golpista informa o valor dos cursos e informa os dados para transferência do valor - cerca de R$ 650,00. 


Profissionais - muitas vezes desempregados - na esperança de conquistarem a vaga, fazem a transferência. 


Golpe em duas etapas


Com os dados do profissional, o estelionatário amplia a ação golpista, e passa a utilizar o nome do Sistema Coffito/Crefitos.


O golpista acessa o site do Crefito-3 e, com nome e números de documentos do profissional, cria uma imagem do site com os dados do profissional (informados por ele próprio, na “primeira parte” do golpe), informando que existe um débito de R$ 1.300,00, e que essa dívida tira o profissional da possibilidade de se candidatar à vaga. 


Em seguida, o golpista oferece uma solução. Basta o profissional enviar um Pix no valor da falsa dívida, e ele volta a ser candidato à vaga de emprego. 


Uma profissional, que recebeu a falsa proposta de emprego e foi informada sobre a existência de débito no Crefito, acessou sua área exclusiva no site do Crefito-3, e não encontrou nenhuma informação sobre a existência de dívidas.


Após ser confrontado, o golpista tentou contornar, informando que “o débito era junto ao Coffito, em uma votação realizada em fevereiro, a qual ela não teria participado”.


Crefito e Coffito não realizam cobranças no whatsapp, nem solicitam pagamento via Pix


A Procuradoria Jurídica do Crefito-3 informa que o Coffito não possui nenhuma relação direta, em termos de cobrança de valores, com os profissionais. Quem realiza essa função são os Crefitos de cada estado. 


Informamos que nem o Crefito-3, nem o Coffito, fazem qualquer contato para solicitar o envio de valores ou depósitos por meio de whatsapp, SMS, e-mail, ou telefone. 


Ao que compete à Comunicação do Crefito-3, são enviados avisos e mensagens  sobre o vencimento de acordos; comunicações sobre anuidades e, aos jurisdicionados que se enquadrem, mensagens com informações sobre políticas de refinanciamento de dívidas.


A Gerência de Tecnologia da Informação do Crefito-3 informa que segue as determinações da Lei Geral de Proteção de Dados e que garante a segurança das informações privadas de todos os inscritos, além de atestar a segurança da rede e a inexistência de vazamento de dados. 


Se o profissional tiver dúvidas em relação a qualquer cobrança feita em nome do Crefito-3 ou do Coffito, deve entrar em contato com o Conselho por meio de nossos canais de atendimento.