Crefito-3 está em Brasília, lutando pela aprovação do projeto de lei do piso salarial
Há 13 anos lutando no Congresso Nacional por um piso salarial digno, fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais podem ver essa demanda ser contemplada em breve, caso o projeto de lei 1.731/2021 seja aprovado. Crefito-3 está em Brasília para sensibilizar parlamentares

A pandemia da COVID-19 colocou os fisioterapeutas em evidência, e a sociedade brasileira passou a compreender melhor qual o papel dos fisioterapeutas - e também dos terapeutas ocupacionais - para o sistema de saúde do país.


Considerando a grande visibilidade que as profissões conquistaram nos últimos dois anos - e que essa visibilidade tende a continuar em alta, em razão das sequelas da COVID-19 - as entidades que reúnem e representam os fisioterapeutas e os terapeutas ocupacionais compreenderam que o momento de obter conquistas para as profissões é agora. Dentre essas conquistas, uma demanda histórica: a definição de um piso salarial nacional para fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais.


Primeiro projeto de lei pelo piso salarial foi apresentado há 13 anos


Desde 2009 as entidades da fisioterapia e da terapia ocupacional tentam conquistar, por meio de lei, o estabelecimento de um piso salarial considerado justo para os fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais. 


Porém, desde 2009, vários projetos de lei foram apresentados, sem que fossem ao menos votados. 


O mais recente deles é o PL 1.731/2021, que propõe piso salarial nacional no valor de R$4.650,00, para jornada semanal de 30 horas. 


A tramitação do PL vai ocorrer no senado e na câmara dos deputados. No momento, o PL aguarda a designação do presidente do senado, Rodrigo Pacheco (PSD), para ser colocado em votação.


Crefito-3 representa profissionais de São Paulo em Brasília


Para garantir que esse PL será colocado em votação e aprovado, fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais se dirigiram a Brasília, para manifestações nos dias 23 e 24 de março.


As manifestações  foram convocadas e organizadas por entidades sindicais de várias partes do país, e conta com o apoio e participação do Crefito-3.


Para somar esforços ao ato, foram a Brasília a terapeuta ocupacional Dra. Fernanda Leandro Ribeiro (conselheira efetiva do Crefito-3; presidente da comissão de ética e deontologia da Terapia Ocupacional e coordenadora da CAP); a terapeuta ocupacional Dra. Osmari Andrade (coordenadora da subsede Crefito-3 de São José do Rio Preto, membro da CAP), o fisioterapeuta Dr. Rivaldo Novaes (Delegado do Crefito-3), a fisioterapeuta Dra. Juliana Mendes (conselheira efetiva do Crefito-3), e a fisioterapeuta Dra. Renata Mazetti (conselheira suplente do Crefito-3 e Coordenadora da CAP).


A concentração dos manifestantes acontece no Museu Nacional. A partir dali, seguem em caminhada pela Esplanada dos Ministérios, até o Congresso Nacional.